Encontre um médico

Conecte-se com médicos especializados em Enxaqueca, membros da Sociedade Brasileira de Cefaleia.

logo da Sociedade brasileira de cefaleia

Clique no botão abaixo para acessar o buscador de médicos
associados da Sociedade Brasileira de Cefaleia.

Você será redirecionado para o site sob responsabilidade da Sociedade Brasileira de Cefaléia.

Conheça também as redes sociais da Sociedade Brasileira de Cefaléia

Depoimentos

Sabemos que compartilhar experiências também ajuda a lidar com o problema, por isso também preparamos alguns depoimentos de pacientes.

Ver todos os depoimentos
Icone de aspas
  • ""Antes eu não tinha vontade de fazer nada, só queria ficar trancada no quarto escuro e em silêncio. Eu recomendo a todos que procurem o neurologista.""

    - Caren Castro, 45 anos Ver depoimento completo
  • ""Minha primeira crise de dor aconteceu aos 18 anos e depois que procurei ajuda foi constatado que minha enxaqueca tinha origem emocional e nutricional. Se eu pudesse dar um conselho seria ‘Procure ajuda. Essa dor não é coisa da sua cabeça’.""

    - Lara Santos Casañas, 28 anos Ver depoimento completo
  • ""Fiz o tratamento por pouco mais de dois anos e as crises se espaçaram bastante. Hoje elas acontecem a cada três ou quatro meses. Por isso recomendo a todos que busquem a ajuda de um profissional sério e confie nele e em si mesmo.""

    - Rita de Cássia Rodrigues, 34 anos Ver depoimento completo
  • "Minha primeira enxaqueca aconteceu quando eu tinha 15 anos, mas só procurei auxílio médico por volta dos 40. Faço tratamento medicamentoso com neurologista e psiquiatra. No começo foi difícil, mas a diferença que senti na qualidade de vida é muito grande! Antes eu não tinha vontade de fazer nada, só queria ficar trancada no quarto escuro e em silêncio. Eu recomendo a todos que procurem o neurologista e não usem analgésico por conta própria, pois é a pior coisa! Não cura e só mascara a doença."

  • "“Minha primeira crise de dor aconteceu aos 18 anos, mas procurei ajuda somente dois anos depois por achar que sabia quais eram as causas. No diagnóstico foi constatado que minha enxaqueca tinha origem emocional e nutricional. Faço acompanhamento terapêutico há dois anos e as mudanças foram notórias! Melhorou minha qualidade de vida, autoestima, humor, autoconhecimento e hoje consigo identificar meus gatilhos. Se eu pudesse dar um conselho a quem sofre com enxaqueca crônica seria: ‘Procure ajuda. Essa dor não é coisa da sua cabeça’.” "

  • ""Eu tive dores de cabeça desde a infância, mas eu só aprendi a identificar uma crise aos 19 anos, pois fui mal orientada durante muito tempo. Fui à luta para tentar descobrir as possíveis causas e, para isso, eu consultei ginecologista, oftalmologista e dentista. Este último até me indicou uma cirurgia ortognática, e foi quando me dei por vencida. Desisti de buscar ajuda e optei por conviver com a dor e com o preconceito.""

  • "“Minhas crises de dor de cabeça começaram desde quando eu era pequena, aos 8 anos de idade, e era minha vó quem cuidava de mim. Quando as crises de dor chegavam, ela corria para colocar rodelas de batata em minha cabeça para ver se passava, mas a melhora acontecia somente depois de 72 horas.""

  • "Já fui a todos os neurologistas da região onde moro e já tomei todos os medicamentos que você possa imaginar, mas a minha vida só mudou quando eu decidi que não dava mais para viver daquele jeito. O resultado de tudo isso é que estou 95% feliz da vida!"

    - Cassandra de Lima, 45 anos Ver depoimento completo