Como equilibrar enxaqueca e trabalho

Como equilibrar enxaqueca e trabalho

26 de setembro de 2019
Muita gente ainda acha que enxaqueca é frescura, apenas uma dorzinha de cabeça. Afinal, quem nunca teve que lidar com o olhar desconfiado do chefe quando não conseguiu trabalhar por conta da dor? A enxaqueca crônica é a doença mais incapacitante do mundo entre pessoas com menos de 50 anos¹. A pesquisa My Migraine Voice realizada pela European Migraine & Headache Alliance, com 11 mil pessoas de 31 países, incluindo o Brasil, mostrou que embora a maioria dos empregadores (63%) soubesse sobre diagnóstico de enxaqueca dos seus funcionários, apenas 18% ofereciam apoio².  Como a enxaqueca é predominante em pessoas em idade produtiva, ou seja, que geralmente estão ativas no mercado de trabalho, é importante encontrar mecanismos que possam ajuda-las a terem mais qualidade de vida e com menos impacto às suas atividades de trabalho. Assim como conscientizar empregadores sobre as consequências efetivas da doença, especialmente da enxaqueca crônica.  Algumas dicas podem ajudar:  Identifique os seus gatilhos de crise: Para identificar os gatilhos é preciso fazer um diário da enxaqueca, observar e anotar detalhadamente o seu dia a dia. Assim, identificará mais facilmente os fatores alimentares, ambientais ou emocionais que te afetam. Conhecendo os gatilhos se torna mais fácil saber quais evitar.   Gerencie a sua agenda:  A rotina é importante para o enxaquecoso, por isso, é preciso manter horários regulares para se alimentar, dormir, fazer atividade física, trabalhar e relaxar. Isso ajuda o corpo a entender o que esperar, especialmente porque quem sofre com dores de cabeça tende a ser muito sensível às mudanças.  Faça agora o teste de impacto da enxaqueca Realize o teste e descubra, em poucos minutos, como a dor de cabeça impacta sua vida pessoal e profissional. Realizar o teste siga-nos nas Redes Sociais Trate os primeiros sintomas das dores de cabeça: quanto antes começar o tratamento melhor. Medicar e mudar hábitos quando a enxaqueca apresentar os primeiros sintomas é mais simples do que quando ela já se tornou crônica. Mas atenção, nunca se automedique, apenas o neurologista pode indicar o medicamento correto para o seu caso. Tratamentos preventivos também funcionam para os casos crônicos: os tratamentos preventivos atuam evitando o desencadeamento das crises e/ou diminuindo a sua intensidade. Existem medicamentos orais e injetáveis específicos para estes casos, como o topiramato e a toxina botulínica A.  Ambos devem ser prescritos pelo médico neurologista. Controle o seu nível de estresse: o estresse é um gatilho comum para as dores de cabeça, e geralmente estão ligados ao ambiente de trabalho.  Atividade física e técnicas de relaxamento podem ajudar a controlar as reações físicas e emocionais diante dos fatores que desencadeiam o problema. Assim como qualquer doença, a enxaqueca deve ser acompanhada por um profissional apto para esta função, que no caso da enxaqueca é o neurologista. O tratamento é a melhor forma de evitar as crises e ter mais qualidade de vida.  ¹ https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5821623/ ²https://thejournalofheadacheandpain.biomedcentral.com/articles/10.1186/s10194-018-0946-z 
Icone de uma doutora
Encontre um médico

Encontre os médicos especialistas, membros da Sociedade Brasileira de Cefaleia

fazer busca por médico
Icone de uma prancheta com desenho de batimento cardiaco
Sintomas

Entenda e aprenda a detectar os sintomas da enxaqueca e da enxaqueca crônica.

Conhecer sintomas
Icone de uma tratamentos
Tratamentos

Navegue pelos Tratamentos agudos e preventivos e recupere o controle da sua vida.

Conhecer tratamentos