A relação entre enxaqueca e depressão

A relação entre enxaqueca e depressão

30 de outubro de 2018
A relação entre dor crônica e depressão é bastante frequente, pois a dor intensa e constante acaba despertando transtornos físicos e mentais que condicionam o paciente a um estado depressivo. Em pacientes com enxaqueca crônica, a prevalência de depressão pode ser até quatro vezes maior¹ do que na população geral, somando-se também aos sintomas de ansiedade.  Por esta razão, o tratamento multidisciplinar da enxaqueca crônica com o apoio de um profissional da área da saúde mental é indicado, como explica a neurologista Dra. Simone Amorim (CRM-SP 98656).  “A depressão e a ansiedade precisam ser tratadas juntamente com a enxaqueca, uma vez que o paciente depressivo não tem disposição para aderir ao tratamento proposto e perde a capacidade de acreditar nos efeitos positivos do que lhe foi indicado, dificultando o processo e os resultados”. Neste sentindo, é importante compreender que a depressão é caracterizada por sintomas como tristeza profunda, perda de prazer, alteração de humor, desesperança, culpa excessiva, baixa energia, alterações no sono e cansaço. E pode ainda ocorrer inquietação e alteração nos processos cognitivos, como falta de atenção e perda de memória recente. A soma destes sintomas com a dor intensa afeta de forma importante a qualidade de vida do paciente e sua capacidade de lidar com a dor física e emocional, e vice-versa.  A psiquiatra Alexandrina Meleiro (CRM-SP 36139) contextualiza que em casos de depressão, a dor crônica atinge uma dimensão ainda maior, se tornando quase que insuportável. “Podemos dizer que uma doença leva a piora do quadro da outra, e ainda que há uma ligação direta entre a dor de qualquer natureza com a depressão, mas principalmente em relação a enxaqueca”.  As especialistas orientam que mesmo em enxaquecosos que não apresentam quadro de depressão já desenvolvido, o acompanhamento psicológico é especialmente indicado como complemento ao tratamento da enxaqueca para ajudar no manejo de fatores psicológicos que podem desencadear crises de dor, como preocupação excessiva, medo, solidão e raiva. “O cuidado emocional é sempre importante, pois muitas vezes ele pode ser desencadeador de situações de estresse que são gatilhos das crises de enxaqueca”, afirma a psiquiatra.   Faça agora o teste de impacto da enxaqueca Realize o teste e descubra, em poucos minutos, como a dor de cabeça impacta sua vida pessoal e profissional. Realizar o teste siga-nos nas Redes Sociais Além de sessões de terapias, existe a possibilidade de tratamento medicamentoso que favorece tanto a dor como a depressão, por isso, remédios antidepressivos são frequententemente prescritos no tratamento da dor crônica.  Em conjunto com o tratamento indicado pelo médico neurologista e o psicólogo, a prática de atividade física, alimentação balanceada e rotina de sono equilibrada podem trazer muitos benefícios para a melhora da qualidade de vida do enxaquecoso. ¹Buse DC, Manack A, Serrano D, Turkel C, Lipton RB. Sociodemographic and comorbidity profiles of chronic migraine and episodic migraine sufferers. J Neurol Neurosurg Psychiatry. 2010 Apr;81(4):428-32. O texto acima possui caráter exclusivamente informativo. Jamais realize qualquer tipo de tratamento ou se automedique sem a orientação de um especialista. Taís Cruz – MTB 0083367/SP
Icone de uma doutora
Encontre um médico

Encontre os médicos especialistas, membros da Sociedade Brasileira de Cefaleia

fazer busca por médico
Icone de uma prancheta com desenho de batimento cardiaco
Sintomas

Entenda e aprenda a detectar os sintomas da enxaqueca e da enxaqueca crônica.

Conhecer sintomas
Icone de uma tratamentos
Tratamentos

Navegue pelos Tratamentos agudos e preventivos e recupere o controle da sua vida.

Conhecer tratamentos